A Seara Nova em números



Nesta secção apresentam-se, de forma sintética, alguns indicadores quantitativos da revista Seara Nova.

Os elementos apresentados na tabela são referentes a contagens de números, edições, artigos e autores singulares únicos. O número total de autores corresponde à quantidade de nomes únicos que assinaram artigos na revista.

No primeiro gráfico está representado o total de artigos assinados pelos vinte autores que mais escreveram na revista entre 1921 e 1984.





Nos cinco gráficos que se seguem estão representados os vinte autores com mais artigos assinados na revista, segmentados por períodos.

Os períodos seleccionados seguiram um critério coerente com a história da revista (1): 1921-1926, que corresponde ao período da sua fundação e definição doutrinária; 1927-1939, o período contra a Ditadura Militar, no qual alguns dos seus autores e fundadores estiveram exilados, que se encerrou com a saída de António Sérgio; 1940-1959, período marcado por discursos de reivindicação cívica e por dificuldades financeiras, de que resulta a publicação não regular; 1960-1974, que corresponde a um período de transformação doutrinária, com a forte presença de correntes marxistas; 1975-1984, período dominado por correntes doutrinárias comunistas, e marcado pela desagregação do grupo e redução dos seus assinantes e leitores.

(1) - Cf. António Reis, “Seara Nova”, in Fernando Rosas e J. M. Brandão Brito, Dicionário do Estado Novo, Venda Nova, Bertrand, 1996, vol. II, p. 890.