Polémicas

Álvaro Cunhal vs. José Régio: A responsabilidade do escritor

Cartas intemporais do nosso tempo. A um moço camarada, sôbre qualquer possível influência do romance brasileiro na literatura portuguesa (1ª parte)
José Régio, Seara Nova, n.º 608, 8 de Abril de 1939, pp. 151-153.

Cartas intemporais do nosso tempo. A um moço camarada, sôbre qualquer possível influência do romance brasileiro na literatura portuguesa (2ª parte)
José Régio, Seara Nova, n.º 609, 15 de Abril de 1939, pp. 167-169.

Cartas intemporais do nosso tempo. A um moço camarada, sôbre qualquer possível influência do romance brasileiro na literatura portuguesa (3ª parte)
José Régio, Seara Nova, n.º 611, 29 de Abril de 1939, pp. 203-205.

Numa encruzilhada dos homens (A-propósito das Cartas Intemporais de José Régio publicadas na Seara Nova n.ºs 608 e 609)
Álvaro Cunhal, Seara Nova, n.º 615, 27 de Maio de 1939, pp. 285-287.

Defino posições
José Régio, Seara Nova, n.º 619, 24 de Junho de 1939, pp. 5-8.

Ainda na encruzilhada
Álvaro Cunhal, Seara Nova, n.º 626, 12 de Agosto de 1939, pp. 151-154.