N.º 42-43 |


Elegia sôbre uma janela d'água furtada
Parreira, Carlos (1890-1950)

Ver analítico


pagina
100% 71 / 185